O inenarrável

Eu, que fiz de um tudo para não ser como meu pai, me pego todo dia encontrando alguma semelhança inaudita. De um tudo, leia-se: já fui adolescente, época em que li Carta ao pai, de Franz Kafka, e comme d'habitude talvez tenha me identificado demais – ah, a imaginação fértil do jovem preso, vivendo em pensamentos... Continuar Lendo →

Não gostaria de entrar para tomar uma xícara de café?

Sabe aquela frase famosa, mentirosa por sinal, "não se faz amigos bebendo leite"? Fico pensando se não teria uma equivalente pro café, enganosa ou não. A bebida marcou presença desde novinho, quando mãinha me dava o que restava de sua xícara – cumplicidade destruída com o advento do adoçante, que nunca suportei. Foi quando comecei... Continuar Lendo →

Fora de casa

Tô ali com a nova tradução de Um teto todo seu pra ler, edição chique e em capa dura, vertida para o português por uma de minhas autoras favoritas, Vanessa Barbara – minha primeira tatuagem tem uma citação de uma crônica bonita sua. Muito do que penso a respeito dos meus últimos 7 anos – a mudança... Continuar Lendo →

Passadinha na biblioteca

Assim como "claro que não" é a resposta fácil pra quando perguntam "Você já leu tudo?" quando encaram a biblioteca de alguém, também é a minha resposta fácil pra quando me perguntam se vou ler todos os títulos que peguei nas bibliotecas em que tenho cadastro. Tem quem ache isso injusto e cite um leitor... Continuar Lendo →

Let’s get physical

Sabotei tanto quanto pude a escrita nas últimas semanas, mas cá estou eu. Vi um seriado atrás do outro (terminei Dickinson e Ted Lasso, maratonei Severance, Roar e Only murders in the building e até ameacei engatar Pinha e Pony), fui exageradamente físico (joguei na gaymada, me adaptei ao novo treino ao ponto de não... Continuar Lendo →

Idolatria

Tenho pensado muito em Este é o mar, de Mariana Enriquez. Li apressado para terminar antes da amiga voltar pra Paris (comprei-o impulsivamente na Flip, empolgado para presentear Bárbara com um livro autografado pela autora que se consolidava como uma de minhas favoritas), então não me lembro de muita coisa (de que mar o título... Continuar Lendo →

Indicadores

Saturação semântica "acarreta perda temporária da noção do significado de uma palavra por sua repetição constante". Peguei a definição numa googlada, mas descobri que tinha um nome para isso vendo série tarde da noite. Sabe quando você repete tanto uma palavra que ela deixa de fazer sentido? Ontem me recusei a acreditar que surpassar era... Continuar Lendo →

Diarinho

Eu tenho uma coleção de grandes esperanças e no trabalho mais uma vez disseram que atendo altas expectativas, mas as coisas não podem ser simples: nunca li Great Expectations, assim como não li nem um quinto dos livros que tenho, mas sei que pega mal não ser um dos que frequentemente ou consistentemente excedem High... Continuar Lendo →

oi, sumido

Eu tentei voltar várias vezes, juro. Senti falta de escrever, mas queria mesmo era voltar com algum estrondo. Voltaria fazendo ensaios audiovisuais no YouTube ou preenchendo o vácuo de biscoteiros literatos no Instagram ou ao menos publicando um post inaugural que desse conta do sumiço de tanto tempo, já tendo migrado pra cá (e catalogado!)... Continuar Lendo →

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑